Prefeitura Municipal de Elias Fausto
 

Elias Fausto está na fase final do Prêmio Professores do Brasil




Elias Fausto está na fase final do Prêmio Professores do Brasil Tudo começou a partir de um sonho, idéias, ideais e de uma vontade de melhorar a cada que passa a educação de escola pública. A catarinense e professora Eveline Andrade Dias, de 36 anos, é professora concursada da Escola Estadual General Mascarenhas de Moraes de Elias Fausto e também faz parte da equipe de professores da Prefeitura Municipal de Elias Fausto.

O desejo de elaborar um projeto diferente começou em 2015, no entanto foi em 2016 que tudo começou a ganhar forma. “Inicialmente comecei com o trabalho dentro da sala de aula e com textos do professor Mário Sérgio Cortella. São textos curtos, com temáticas variadas e com um senso crítico que eu gostaria que os alunos do ensino médio tivessem acesso”, explica a professora.

Além da utilização dos textos de Cortella durante os encontros, o professor também foi a inspiração para o nome do projeto da professora Eveline Andrade Dias: “Pensar bem, nos faz bem. Pensar bem e juntos, nos faz melhor”.

Com graduação na área de Ciências Sociais, especialização em Metodologia do Ensino e mestre em História Cultural na Universidade Federal de Santa Catarina, Eveline sentiu a necessidade de criar um ambiente de diálogo com os jovens do Ensino Médio da Escola Estadual General Mascarenhas de Moraes. “Percebia que muito das críticas que eles faziam, era somente a crítica pela crítica. Faltava um entendimento e uma reflexão acerca do assunto. E esse projeto veio para suprir essa necessidade”, explica.

No início, Eveline começou o projeto dentro das salas de aula e não imaginou a proporção que fosse ganhar. “Trabalho com os alunos do primeiro e segundo ano do Ensino Médio. Nossos encontros normalmente são fora do horário de aula. As vezes até mesmo aos sábados quando a escola está aberta ou por mensagens de WhatsApp. No entanto, nunca imaginei que o projeto fosse ganhar a proporção que atingiu”, afirma.

O projeto

O projeto atende por ano cerca de 80 jovens e em 2016 a equipe fez como produto de conclusão um vídeo documentário. “Além dos debates em sala de aula, também gosto de trazer convidados para conversar com os jovens de acordo com a temática que está sendo praticada. Para a produção do vídeo-documentário tiveram aula por meio de videoconferência com o jornalista e cineasta Fernando Leão”, comenta Eveline. Os textos produzidos pelos alunos são sobre intolerância, política, violação de direitos humanos, democracia, educação. “Trabalhamos o exercício democrático e defesa da democracia”, afirma.

Em 2017, o foco do projeto foi o estudo de ciências políticas e a compreensão da estrutura política do estado e cidade. Para isso, Eveline e os alunos realizaram uma pesquisa bibliográfica, realizaram mesa de debate e também fizeram estudo de campo. “Tivemos a oportunidade de conhecer a Câmara Municipal de Elias Fausto e conversar com os vereadores para ver o funcionamento. A parte prática é fundamental para o conhecimento dos alunos”, explica.

Eveline conta que dentro do processo com os jovens ela e atua mais como mediadora do que propositora. “Trago sugestões de textos e oficinas para eles. Mas atuo mais na mediação dos debates no sentido de levar a reflexão sobre a temática”.

Já nesse ano de 2018, o projeto “Pensar bem, nos faz bem. Pensar bem e juntos, nos faz melhor” ganhou um destaque maior e está sendo reconhecido nacionalmente. “Inscrevi o projeto na 11ª Edição do Prêmio Professores do Brasil que é uma iniciativa do Ministério da Educação e passamos pela fase Regional. Agora vamos para a fase nacional representando Elias Fausto”.

Educação não aceita miudeza

Fala-se muito da questão da leitura que envolve os jovens. No entanto, durante o projeto, desde 2016, Eveline comprovou que os jovens estão lendo. “Mudou. A educação mudou e a forma de ler dos alunos também. Hoje eles estão mais envolvidos com a questão tecnológica e não adianta mais lecionarmos como há dez anos atrás. Eles não querem mais uma professora palestrante. Eles querem uma aula em que possam participar e também interativa”, afirma.

Para conhecer melhor os jovens que fazem parte do projeto, no primeiro encontro Eveline pede para que eles preencham uma ficha. E é nessa ficha que a professora detecta o perfil de seus alunos. “Na educação trabalhamos com seres humanos e pluralidade. E isso precisa ser levado em consideração na hora de darmos aula ou até mesmo para desenvolver o projeto”.

Fase nacional

No dia 26 de novembro, a professora Eveline estará representando Elias Fausto e toda a região sudeste no encontro que acontece no Rio de Janeiro. “Será um dia inesquesquecível. Para esse dia, tenho que levar algo que represente a nossa cidade para poder apresentar a todos os participantes. Será um grande encontro e já me sinto vitoriosa por poder participar de algo tão grandioso e teve início dentro de uma sala de aula. Acredito na educação como a única chave que consegue abrir qualquer porta caracterizada como um obstáculo”, finaliza.
Data da Publicação: 14/11/2018
Fonte: Imprensa Municipal